Mala da Partilha

A celebração é presidida pelo bispo de Beja e realiza-se, afirma a Cáritas Diocesana, “num concelho em que particularmente o fluxo migratório é elevado devido à presença de investimentos agrícolas que carecem de mão-de-obra para a agricultura.”

Com esta iniciativa, a Cáritas Diocesana de Beja espera “contribuir para um melhor entendimento e uma abordagem positiva e humana sobre a viagem migratória e os seus desafios.” Esta é uma ação conjunta entre cáritas diocesanas e secretariados diocesanos, com o apoio da Cáritas Portuguesa e da Obra Católica Portuguesa para as Migrações.

“A Mala da Partilha pretende criar e promover oportunidades para que as comunidades se abram àqueles que vieram de outros lugares do mundo, ou, até mesmo, de outros lugares do país e que trazem consigo histórias de viagem que explicam a razão pela qual saíram de sua casa, quais as dificuldades que encontraram, quais as dificuldades que tiveram de superar e, também, porque ouvir e partilhar implica mudança, conhecer quais os desafios que deixam às comunidades que os acolheram”, explica a Cáritas Diocesana de Beja, esclarecendo o objetivo desta realização.

A Mala da Partilha segue depois a sua viagem, em dinâmica semelhante, para a diocese do Funchal. 


Comente esta notícia