Secundária Serpa

Considera o Município de Serpa lamentável que o Ministério da Educação não tenha dado qualquer resposta às solicitações feitas, tendo em atenção que o último pedido de reunião foi de 18 de outubro, nem qualquer esclarecimento efetivo sobre o problema, adiando as imprescindíveis intervenções com a consequente deterioração progressiva das instalações. As declarações são de Tomé Pires, presidente da Câmara de Serpa.

A Câmara assume as suas responsabilidades, frisa ainda, Tomé Pires exigindo que a tutela faça face às suas. Avança, igualmente, que a autarquia vai continuar a pressionar até ficarem resolvidas as necessidades da Escola Secundária.

Na nota de imprensa da Câmara de Serpa é recordado que "há muito que os problemas estão diagnosticados" e que "a intervenção necessária foi estimada pela Direção Regional de Educação do Alentejo em três milhões e quinhentos mil euros". Lembra também, que o Governo propõe um investimento nesta Escola de cerca de 1 milhão de euros, através de um acordo com a CIMBAL - Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo no âmbito dos financiamentos comunitários, com a contrapartida nacional de 15% assegurada pelo Ministério da Educação e pelo município de Serpa."


Comente esta notícia