Telma Guerreiro

A revelação é feita pelos deputados socialistas, eleitos pelo distrito, em comunicado e no documento é referido que “na votação dos seis projetos de resolução, que teve lugar esta quarta-feira na comissão parlamentar, o PS votou a favor de todas as iniciativas legislativas porque considera que «a unidade em torno dos problemas da comunidade educativa é a força para a sua resolução»”, tal como refere a deputada socialista eleita por Beja, Telma Guerreiro.

O documento recorda, ainda, que “os socialistas de Serpa e os deputados do PS eleitos pelo distrito de Beja tudo têm feito para que a situação desta escola secundária se resolva, tendo em conta que o Governo tem procurado assinar este acordo de parceria com o Município de Serpa que, por sua vez, tarda em decidir, o que leva os socialistas a questionar se «esta posição é pela ideologia ou pela comunidade educativa de Serpa»”. “A oportunidade está inscrita, as condições estão criadas, falta a autarquia de Serpa ser parte da solução, pois perder esta oportunidade será um prejuízo claro para esta comunidade educativa", defende a deputada Telma Guerreiro, frisando que acredita que “o presidente da Câmara quer muito, igualmente, este assunto resolvido”.

Tomé Pires, presidente da Câmara de Serpa, responde a Telma Guerreiro, dizendo que “o que continua a faltar é vontade política e não disponibilidade da autarquia”. Para o autarca “o Governo tem duas oportunidades para resolver a questão” e explica quais. Deixa claro, também, que “nem todos os projetos de resolução dizem o mesmo” e que “só há dois, o do PCP e do BE, que atribuem ao Governo a responsabilidade da obra”. Acrescentou que “a Câmara de Serpa tem disponibilidade para ser a promotora da candidatura, a fundos comunitários, não está é disponível para pagar a parte do Governo”.


Comente esta notícia