JOÃO RAMOS DEPUTADO DO PCP POR BEJA

Depois dos vários contactos efectuados, com diversas entidades do distrito, no âmbito daquela iniciativa, João Ramos frisou que foi possível perceber que no distrito, ao definhamento demográfico corresponde também um definhamento económico e que por isso mesmo, a empregabilidade está assente nas câmaras, nas misericórdias, IPSS, tendo depois importância diversa em função dos concelhos, a agricultura, a pecuária e as minas.

Depois de efectuado o diagnóstico do distrito, o PCP vai exigir alternativas e apontar caminhos afirmou o deputado comunista. Neste contexto, João Ramos revelou que vai requerer ao Governo o relatório do estado de coesão territorial que data de 2011, assim como pressionar para a sua apresentação e discussão.

O investimento público vai estar também na mira do PCP e neste sentido, o parlamentar disse que o seu partido vai propor a realização de um estudo, que aborde o seu papel, no projecto Alqueva, na óptica da dinamização do investimento privado, contributo para a resolução de problemas sociais e dinamização das economias locais e regional.

Vai ser requerida, igualmente, a majoração nos apoios às IPSS do distrito, tendo em atenção a dispersão e extensão territorial a que têm de fazer face, na sua intervenção.

A chamada de atenção para a grave situação dos serviços de saúde de psiquiatria da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) e a demora em encontrar soluções levou ainda, o PCP a apresentar um projecto de resolução a recomendar ao Governo que concretize medidas políticas necessárias para o funcionamento pleno do Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental da ULSBA.


Comente esta notícia