pcp camapnha correios

Para o PCP, mais do que uma empresa que garanta lucros e dividendos, os Correios devem ser um serviço público ao serviço do país e das populações, ao serviço da economia nacional e do desenvolvimento, com uma gestão que vise o equilíbrio económico-financeiro e o investimento na melhoria da qualidade.

O PCP considera que “estamos perante um quadro de degradação da qualidade do serviço que afecta todos e que é indissociável da privatização dos CTT com as práticas de destruição de postos de trabalho e de ataque aos direitos dos trabalhadores daquela empresa”.

Miguel Violante, da DORBE do PCP, afirma que os comunistas sempre foram contra a privatização dos CTT e agora aquilo que se passa acaba por lhes dar razão.

Ainda segundo, Miguel Violante, os CTT privatizados só têm como objectivo o lucro, para isso, tem contribuido o encerramento de estações e o despedimento de trabalhadores colocando em causa a qualidade do serviço que é prestado. Nesse sentido, o PCP defende que é possível e necessário reverter a privatização.

A acção marcada para, hoje, começa, às 8.30 horas, junto às Estações dos Correios de Beja, seguem-se, ao longo do dia, contactos junto às estações de Cuba, Serpa, Castro Verde, Alvito, Vidigueira, Ourique, Almodôvar, termina às 17.30 horas, novamente em Beja.







Comente esta notícia