Aeroporto de Beja

Para a Comissão Concelhia de Beja do PCP é “inadmissível” que “o atual presidente da Câmara Municipal de Beja tenha afirmado, recentemente, que o Aeroporto de Beja não é uma alternativa exequível ao do Montijo” e “que tenha acrescentado que este aeroporto deve servir, apenas, a manutenção e a carga, deixando de fora os voos comerciais de passageiros”.

“Com estas declarações”, frisa a Concelhia de Beja do PCP, “o responsável da concelhia de Beja do PS quer ser mais “papista” que o próprio Governo”.

O PCP de Beja diz, ainda, que Paulo Arsénio se demarcou “da posição da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa que defendeu, numa entrevista, a aposta no Aeroporto de Beja, com uma ligação ferroviária a Lisboa”.

Segundo o comunicado, “o PS descarta o aeroporto e nada diz sobre as obras do futuro IP8 até à fronteira de Vila Verde de Ficalho, nem mesmo sobre a ferrovia”.

A Comissão Concelhia de Beja do PCP repudia esta posição, lembrando que “o PCP sempre defendeu e reivindicou a utilização do aeroporto de Beja, a modernização e electrificação da ferrovia, bem como, as obras no IP8 como factor de desenvolvimento para o concelho e para a região”.

No entender do PCP de Beja, “mais uma vez fica claro que, quer o executivo da Câmara de Beja, quer o PS local, nada fazem para que o concelho se desenvolva, havendo uma clara falta de estratégia para o investimento”. As declarações são de João Farelo, da Concelhia de Beja do PCP.

O comunicado sublinha, ainda, que “o PS que fez contas ao investimento que os turistas podem fazer, caso optem por passar um dia no Parque do Cinco Reis, esqueceu-se foi de fazer contas ao investimento que os turistas podiam fazer caso o aeroporto de Beja fosse estimulado com voos de passageiros e caso existissem bons acessos ferroviários e rodoviários”.

O documento termina frisando que “a Comissão Concelhia de Beja do PCP apela aos trabalhadores e a população do concelho de Beja, que lutem pela construção de uma política alternativa que o concelho e que o distrito precisam, que sirva os interesses de desenvolvimento integrado”. 


Comente esta notícia