Saúde

O deputado do PCP colocou questões sobre a 2ª fase de construção do Hospital de Beja; aumento do orçamento global da ULSBA; cuidados de saúde primários e falta de médicos de família nos centros de saúde de Aljustrel, Serpa e Ourique; respostas em cuidados continuados no distrito; encerramentos, periódicos, na obstetrícia e noutras especialidades e equipamentos de imagiologia, com atenções na ressonância magnética. Telma Guerreiro, do PS, referiu, na interpelação a Marta Temido, que os deputados socialistas “estão atentos ao território e a todas as medidas do Governo para que as políticas positivas que são enunciadas em OE2020, na área da saúde, possam acontecer também” no distrito.

Sobre a 2ª fase de construção do Hospital de Beja, a ministra da saúde avançou que já está no Gabinete de Instalações e Equipamentos da Administração Regional de Saúde Alentejo (ARSA) e o deputado do PCP considera que ainda é necessária, mesmo assim, muita luta para a mesma se concretizar. Quanto ao aumento de 9 milhões de euros no orçamento da ULSBA, Marta Temido “nada esclareceu” e João Dias considera que devem ser para pagar dívidas em atraso.

Telma Guerreiro, do PS, refere, também, em nota de imprensa, relativamente à ampliação do Hospital José Joaquim Fernandes, que “a ministra confirmou que o projeto está em avaliação pelo Gabinete de Instalações e Equipamentos da ARSA”.

No que diz respeito à falta de profissionais hospitalares e nos centros de saúde, João Dias não ficou satisfeito com a resposta da ministra, porque se mostrou convicta de que os mesmos vão aparecer nos concursos e o PCP considera que sem medidas discriminatórias positivas isso não vai acontecer. João Dias assegurou, ainda, que Marta Temido nada concretizou sobre as restantes questões colocadas, remetendo as soluções para o aumento do orçamento global na saúde.

Entendimento diferente tem a deputada do PS, Telma Guerreiro, quando frisa, no documento enviado à nossa redação, que “a região do Alentejo será uma das contempladas no reforço de profissionais no Serviço Nacional de Saúde, garantiu a ministra da tutela, Marta Temido, no Parlamento, no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2020, em resposta às questões” que colocou.

Os cuidados continuados no distrito e a carência dos mesmos em alguns concelhos, nomeadamente no de Beja, foi outra das preocupações manifestada pelo deputado comunista João Dias, que assegurou ter ficado apreensivo com a resposta da ministra e explicou porquê.

Na nota de imprensa de Telma Guerreiro nada é referido sobre esta matéria, mas a deputada do PS revela, contudo, que “a ministra confirmou também o investimento em novos centros de Saúde em Ourique, Mértola e Vidigueira” e “especificou que, no caso da Vidigueira, o projeto aguarda visto do Tribunal de Contas, estando o de Ourique pendente da candidatura no âmbito do Programa Operacional (PO) do Alentejo, esperando-se, se for aprovada, o início da empreitada em janeiro de 2021. Relativamente a Mértola, a ministra revelou que a empreitada será consignada” nesta terça-feira, “dia 14 de janeiro de 2020”.

Na sua intervenção, a deputada Telma Guerreiro alertou, ainda, tal como salienta na na sua nota de imprensa, “para a importância do investimento na Extensão de Saúde em Vila Nova de Milfontes e da avaliação das condições das Urgências de Castro Verde, que carecem de uma nova resposta.”



Comente esta notícia