NILZA DE SENA

A parlamentar refere, no documento enviado à tutela que devido à baixa densidade demográfica e à redução do número de alunos, o financiamento de escolas profissionais, não dependentes do Ministério de Educação, pode afetar a viabilidade da escola pública. No caso de Mértola, frisa a deputada social-democrata, pode mesmo não se conseguir constituir turmas nos próximos anos, situação que leva Nilza de Sena a acreditar que se está a correr o risco desta opção poder vir a desaparecer neste concelho.

A parlamentar denuncia ainda, o facto de em Mértola haver um vereador da Educação que acumula, igualmente, as funções de presidente do Conselho Municipal de Educação e as de presidente do Conselho de Administração da ALSUD, que na sua opinião constitui um conflito de interesses que não ajuda a situação delicada do concelho a este nível.

Perante tudo isto, a deputada perguntou ao Governo se é possível discriminar positivamente Mértola na constituição de turmas; quais os critérios de avaliação para a escolha das escolas e respetiva distribuição de cursos profissionais no Baixo Alentejo; qual o financiamento do Ministério de Educação à Escola Profissional ALSUD nos últimos 5 anos e qual a opinião do ministro relativamente a este conflito de interesses em Mértola e o possível impacto nas decisões políticas da região.


Comente esta notícia