BE em Beja pré-campanha

No início do seu discurso, Catarina Martins recordou que as eleições servem para se fazer balanço do que se alcançou e “olhar para o que é preciso fazer”. Daquilo que o BE atingiu, a líder do partido salientou “uma das maiores conquistas desta legislatura”: o facto dos trabalhadores das lavarias terem acesso ao desgaste rápido para a sua reforma.

As acessibilidades da região foram, igualmente, destacadas e Catarina Martins foi peremptória: “falta a resposta na rodovia e no comboio”, afirmando ser imperativo que se consiga que “todas as capitais de distrito tenham uma resposta de ferrovia à altura”, pois é “uma exigência ambiental e de modernidade”. Antes das acessibilidades falou ainda da questão do clima e do ambiente. 

Mariana Aiveca começou por apresentar a lista que encabeça como uma lista paritária, que cumpre todos os critérios e formada por “ativistas” experientes e “animados da força transformadora que Beja merece”.

A nº1 da lista do BE, no círculo eleitoral de Beja revelou as prioridades por que o seu partido e a sua lista se vão debater nas eleições Legislativas, começando por a “emergência climática”, nomeadamente, a defesa da água pública sob o controlo municipal e, por outro lado, uma Carta de Ordenamento Agrícola que determine “onde e quando” se instalam as culturas intensivas e superintensivas .

Mariana Aiveca frisou também que, enquanto a Carta de Ordenamento Agrícola não existir, o BE defende a existência de uma moratória que impeça novas implantações destas culturas, realçando a ideia que a agricultura tem que ter “uma função social” e “nunca ser promotora da degradação do ambiente, da qualidade de vida das pessoas e do trabalho escravo”.

Além do aumento das pensões, do aumento do salário mínimo para 650 euros e da luta pelas 35 horas de trabalho, a candidata terminou o seu discurso sublinhando a 3º prioridade do BE: serviços públicos e acessibilidades. Neste âmbito, Mariana Aiveca exigiu a abertura imediata do troço da A26 e defende que não se paguem portagens enquanto esta via não chegar a Beja.

Mariana Aiveca terminou a sua intervenção garantindo que “a campanha está a ser viva”, que a sua equipa é “uma equipa capaz de ganhar” e que “vai pôr o Alentejo e mais esquerda no Parlamento”.

Esta sessão contou, ainda, com as presenças de Fernando Rosas, fundador do Bloco de Esquerda e Pepa Beiras, porta-voz ambiental da Izquierda Unida da Andalucia.

A lista do BE é encabeçada por Mariana Aiveca, em segundo lugar está Pedro Gonçalves e Cristina Ferreira, surge em terceiro lugar. Seguem-se os nomes de Cláudia Figueira, Joaquim Brás e Gina Mateus. O mandatário distrital de Beja da candidatura do Bloco de Esquerda é Alberto Matos.


Comente esta notícia

Galeria de fotos