foto joão dias

João Dias afirmou que a CDU foi a força mais activa no distrito e na região e deu alguns exemplos concretos de matérias que mereceram a atenção dos comunistas.

João Dias garantiu que, está com a consciência de dever cumprido relativamente ao trabalho que foi desenvolvido e admitiu que a região não foi valorizada pelo Governo.

Ainda assim, João Dias afirmou que este Governo rompeu com o caminho que estava a ser trilhado pelos governos de direita e admitiu que o esclarecimento é fundamental porque há o risco do PS colher os "louros" daquilo que foi feito e que teve a mão da CDU. O deputado eleito por Beja denunciou ainda o facto do programa do PS, divulgado recentemente, conter propostas que o PCP apresentou nesta legislatura e que não tiveram o acordo dos socialistas.

João Dias alertou ainda para as consequências das maiorias absolutas, considerou que há o perigo da Assembleia da República perder qualidade e capacidade de intervenção porque se transforma numa mera “secretaria notarial”.

João Dias acusou ainda Pedro do Carmo, de no início da legislatura votar sempre com o mesmo sentido de voto do grupo parlamentar do PS e de ter mudado o seu comportamento com o aproximar das eleições legislativas.



Comente esta notícia