HOSPITAL DE BEJA

Segundo a ULSBA esta situação fica a dever-se à “falta de médicos da especialidade de Obstetrícia para o preenchimento da escala do Serviço de Urgência de Obstetrícia e Ginecologia” daquela unidade hospitalar.

Durante este período, a ULSBA procede à transferência das utentes não emergentes, com critérios clínicos que o permitam, para outras unidades.

Ainda de acordo com a ULSBA a “urgência interna da especialidade está assegurada, assim como estará assegurado por equipa médico-cirúrgica de serviço, o atendimento emergente”.


 



Comente esta notícia