CLÁUDIO TORRES

 O anúncio foi feito, em nota de imprensa, pelo Gabinete da ministra da Cultura, Graça Fonseca. No documento pode ler-se que a atribuição da medalha surge “em reconhecimento do inestimável trabalho de uma vida dedicada ao estudo e à investigação histórica e às causas do património cultural e da arqueologia peninsular, tendo ajudado a preservar e a compreender, com a sua obra, uma parcela fundamental da nossa memória colectiva”.


A convite de António Serrão Martins, o primeiro presidente da Câmara de Mértola eleito em democracia, Cláudio Torres fundou, em 1978 o Campo Arqueológico de Mértola, ao longo destes anos tem desenvolvido actividade científica na área do património cultural, nomeadamente nos domínios da arqueologia, da investigação histórica e da museologia.



Comente esta notícia