NOTAS DE EURO CONTAGEM

Os funcionários públicos vão passar a trabalhar 40 horas semanais ainda este ano, o Governo vai enviar trabalhadores para a mobilidade especial em Setembro e as rescisões amigáveis arrancam também em 2013, para começarem a ter resultados visíveis em 2014.

No corrente ano sobem também os descontos para a ADSE e o subsídio de doença converge com o do privado.

Henrique Vilallonga, da Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública, frisou à Voz da Planície que as medidas apresentadas pelo Governo colocam em causa os funcionários públicos e a qualidade dos serviços que prestam, factos que vão acabar por afectar também, de forma indirecta, a população.

Henrique Vilallonga garantiu, igualmente, que os sindicatos não ponderam sequer discutir as medidas avançadas pelo Governo, porque não são aceitáveis e que o caminho é a contestação.

Seja como for, o Governo tem na calha mais medidas para 2014, para os funcionários públicos, que passam por encolher as férias para os 22 dias e emagrecer os salários base e os suplementos.


Comente esta notícia