Porco raça alentejana

O Congresso Mundial do Presunto começa hoje em Ourique. Às 18h00 é feita a recepção aos membros do Comité Científico e Organizador, altura aproveitada ainda para a apresentação das candidaturas à organização do Congresso do próximo ano.

Recordamos que este ano é a primeira vez que o Congresso Mundial do Presunto se realiza fora de Espanha, um país com uma influência muito forte neste sector. A candidatura de Portugal foi ganhadora graças à articulação de esforços entre várias entidades regionais e nacionais, à revitalização da fileira do Porco Alentejano e ao trabalho desenvolvido no exterior, designadamente em Espanha, por José Cândido Nobre que desenvolveu, enquanto presidente da Associação de Criadores de Porco Alentejano, um extenso trabalho em prol do desenvolvimento da fileira e em contactos no exterior.

A decorrer até à próxima sexta-feira em Ourique, concelho projectado como capital do Porco Alentejano, o Congresso Mundial do Presunto está a gerar muitas expectativas, designadamente, no que diz respeito à conquista de novos mercados.

Um dos exemplos é a Montaraz, empresa de Garvão, no concelho de Ourique, que nasceu em 2007 com o objectivo de criar uma unidade de transformação que pudesse gerar valor acrescentado à excelente matéria-prima da região que, de outra forma, era vendida para as indústrias de transformação espanholas. Falamos do porco de raça Alentejana.

Rui Carapuça, administrador da Montaraz, explica à Rádio Voz da Planície que, desde a sua criação, a Montaraz tem vindo sempre a aumentar as vendas. Entre 2008 e 2012 quase que quadruplicou as vendas, passando de pouco mais de setecentos mil euros para dois milhões e seiscentos mil.  No entanto, para os produtos mais nobres, o presunto e as paletas com Indicação Geográfica Protegida - IGP Santana da Serra - o destino é, sobretudo, o mercado externo. A crise em Portugal afasta os consumidores, destacando-se, com mais saída, os enchidos de gama média, média baixa.

De entre as expectativas em relação ao Congresso Mundial do presunto, Rui Carapuça refere o estímulo do sector no nosso País através da, cada vez maior, valorização do porco de raça Alentejana e a abertura de novos mercados.

A sessão de abertura do Congresso está marcada para as 10h00 de amanhã, momento a partir do qual vão ser apresentados dois painéis, nos quais vão ser debatidos temas integrados na produção de matéria-prima relacionados com a genética e a alimentação/maneio. A organização do Congresso é da responsabilidade da Câmara Municipal de Ourique, em articulação com a Associação de Criadores de Porco Alentejano e o o apoio de diversas outras entidades.


Comente esta notícia