professores AR

A FENPROF promove, esta tarde, a partir das 15.30 horas, um cordão humano frente à Assembleia da República. Um protesto que surge no dia em que o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues marca presença  no Parlamento para apresentar aquilo que está previsto para o sector, no Orçamento de Estado para 2020.

Daquilo que é conhecido, a FENPROF considera que, o Orçamento passa ao lado da Educação, não prevê qualquer investimento na Escola Pública e “esquece” os professores. Considera ainda a FENPROF que depois de “um recuo de 12%  no financiamento público, verificado na última década, o orçamento para a Educação não aponta para reversão da sub-orçamentação do sector, revelando que o Governo opta por manter esta área no pântano da estagnação”.

Manuel Nobre, presidente do Sindicato dos Professores da Zona Sul, começa por criticar ministro da Educação porque desde que tomou posse ainda não recebeu os sindicatos. Manuel Nobre recorda ainda algumas reivindicações que não estão contempladas no OE 2020.

As críticas de Manuel Nobre sobem de tom ao considerar que o Governo “faz-se cego, surdo e mudo” em relação às questões da educação.

A luta dos professores vai continuar e para o próximo dia 31 está marcada uma greve nacional, no dia em que os docentes também se associam à manifestação nacional da administração pública.


Comente esta notícia