Cordão Humano Ervidel

A população de Ervidel começou a fazer, por volta das 08.00 horas, um cordão humano junto do edifício da estação de correios, com dois objectivos: protestar contra o desmantelamento da estação que ajudaram a preservar e contra a privatização deste serviço público e na sexta-feira vai a Lisboa, para tentar chegar à fala com a Administração.

Manuel Nobre, presidente da Junta de Freguesia de Ervidel, avançou à Voz da Planície que a população vai tentar a sua sorte na sexta-feira, no sentido de falar com o Conselho de Administração, tentar perceber o que se está a passar e chamar à razão estes responsáveis. Acrescentou que os populares sugeriram que se levasse na bagagem alguns artigos de mercearia, aludindo ao facto, dos Correios de Portugal estarem a fazer a passagem dos serviços que deveriam prestar para locais onde são vendidos aqueles víveres.

Recorde-se que Manuel Nobre explicou também à nossa estação que a indignação da população de Ervidel se prende com o facto dos Correios de Portugal terem tomado esta atitude à sua revelia, numa altura em que ainda decorrem conversações com a Administração sobre o encerramento da estação. O presidente da Junta esclareceu, igualmente, que o edifício da estação de correios tem sido preservado, desde a década de 50, de forma graciosa pela população, que entende este acto como uma traição e que promete continuar a luta, no sentido de evitar a sua concretização.

A estação de correios de Ervidel encerrou no passado dia 27 de Maio, passando para um privado. Desde essa data, a população tem-se queixado do facto de muitos dos serviços terem deixado de ser prestados e tem realizado diversas acções de luta no sentido de conseguir a sua reabertura.


Comente esta notícia