Símbolo do PCP

Neste encontro, a DRA do PCP refletiu sobre os atos eleitorais do ano 2021. Sobre as Presidenciais de 24 de janeiro recordou que constitui “mais um importante momento de luta e de intervenção política”, frisando que “a candidatura de João Ferreira, alicerçada nos valores de Abril assume-se, pela clareza de intervenção e projeto, como a sólida garantia para defender, cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa e os direitos que esta comporta, como parte integrante da luta pela construção da alternativa de que o país precisa.” Sobre as autárquicas, a DRA do PCP pediu o reforço da “votação na CDU”, salientando que é a “força política mais preparada para lutar pelos direitos da população e desenvolvimento da região”. As declarações são de Dias Coelho, da DRA do PCP.

Nesta reunião foi abordada, também, a situação que o país enfrenta, devido à pandemia e referido que é “uma situação com contornos ainda mais graves no Alentejo, dado o abandono a que tem vindo a ser sujeito por sucessivos governos da política de direita (PS, PSD e CDS).” Nesta região “a necessidade de respostas integradas é fundamental, seja ao nível da estrutura económica e na sua densificação e diversificação, criando mais e melhor emprego, seja ao nível do combate aos focos de pobreza, que tendem e tenderão a aumentar, seja na rede pública de lares e creches, seja no combate à demagogia e a teses racistas e xenófobas”. As palavras são, também, de Dias Coelho.

Foi recordada, ainda, neste encontro, a realização em Moura da Conferência: “O Alentejo tem Futuro – Apoiar a Base Económica; Reforçar os Serviços Públicos; Criar emprego; Aumentar a demografia”, e, de acordo com Dias Coelho, “ficou clara a urgência de se encontrar para o Alentejo uma estratégia de desenvolvimento assente nas suas potencialidades, com o PCP na dianteira deste trabalho”.


Comente esta notícia