Gonçalo Valente

Segundo a Distrital do PSD, existe uma “tamanha falta de coerência política, decoro e respeito pelos baixo-alentejanos” , por parte do Governo, que “durante a última legislatura investiu na região uma mão cheia de nada, votando-nos ao esquecimento”.

Esclarecendo que “o PSD é totalmente favorável” à realização de “qualquer iniciativa que vise contribuir para a promoção do distrito”, o presidente da Comissão Política Distrital de Beja do PSD considera, contudo, que falar-se de coesão, numa região “votada completamente ao abandono” por parte do Governo, “é uma total falta de coerência” e “uma afronta para com os baixo alentejanos”.

Gonçalo Valente realça que “este Primeiro-Ministro é o mesmo que contribuiu para um aumento das assimetrias, mitigando o desenvolvimento da região e a consequente coesão territorial”.

Segundo Gonçalo Valente, a Cimeira “Amigos da Coesão” “não passa de uma ação de charme, escamoteando a ausência de ação política” e a “ausência de investimento público” no território.

O comunicado deixa, ainda, críticas ao presidente da Câmara Municipal de Beja, dizendo que Paulo Arsénio “com a subserviência e mesmo total falta de autoridade, teima em dissociar-se de quem o elegeu, preferindo vestir a camisola do Partido Socialista, em vez da camisola dos seus munícipes”, acrescentando que “este encontro não é mais do que uma falta de respeito” e “um atestado de ignorância passado aos baixo-alentejanos”.


Comente esta notícia