CPPME

Em todos os encontros, a CPPME apresentou as suas 25 propostas para uma economia sustentável e dinâmica e registou, “com agrado e simpatia, o reconhecimento do papel da Confederação na defesa das micro, pequenas e médias empresas (MPME) e seus empresários e a adesão a muitas das suas propostas.”

A CPPME espera que algumas das suas propostas “possam ser apresentadas pelos respetivos Grupos Parlamentares, no período de discussão na especialidade, do OE/2020”, porque, refere a Confederação, “na análise efetuada ao documento concluiu-se que, no formato apresentado, nem responde aos anseios dos micro e pequenos empresários, nem da economia, nem do país.”

A CPPME informa, ainda, que pediu, “com caráter de urgência, uma audiência ao primeiro-ministro, a 7 de novembro de 2019” e que “está até à data sem confirmação da mesma”. Neste encontro, a CPPME quer “apresentar a António Costa, de viva voz, os problemas dos micro, pequenos e médios empresários que, no tecido empresarial português não financeiro, representam cerca de 99,8%.”


Comente esta notícia