Simbolo da CDU

A CDU de Moura recorda “as opiniões proferidas relativamente à participação dos trabalhadores do município na jornada de luta de 31 de janeiro”, referindo que as mesmas diziam: «Foi muito tempo assim… nem aderiam à greve nem colocavam férias…. Iam às manifestações às expensas da câmara»; e «Se os funcionários da CMM fazem greve 11 meses por ano ainda querem mais»”.

“A CDU pretendeu com esta moção”, esclareceu o eleito da Coligação Democrática Unitária na Assembleia Municipal de Moura João Ramos, “que os deputados municipais esclarecessem qual a posição a tomar, tendo em conta os acontecimentos recentes de ataque e perversão dos direitos dos trabalhadores, por parte do Executivo PS na autarquia”. “Votando contra”, frisou João Ramos, “significa que não quiseram distanciar-se das afirmações que fizeram”.

“Foi, mais uma vez, sem surpresa que se assistiu a esta tomada de posição por parte dos eleitos do PS e do presidente da Junta de Freguesia de Amareleja, tendo os eleitos pelo PSD optado pela abstenção. Ficou esclarecida a posição do PS na Câmara e Assembleia Municipal”, refere, igualmente, a nota enviada à nossa redação. Por seu lado, é dito também, “a CDU, quer esteja no poder ou na oposição mantém e manterá uma posição coerente, assente na defesa dos direitos dos trabalhadores do concelho, não deixando de estar sempre ao lado destes, ou seja, do lado certo”.


Comente esta notícia