Simbolo da CDU

No documento, a CDU de Moura refere que “no raiar do 46º aniversário do 25 de Abril e no mesmo mandato em que tentou retirar a propaganda política das ruas do concelho, a Câmara do PS procura agora coagir os trabalhadores, obrigando os mesmo a abdicar de um dia por conta das férias, de modo a participar na manifestação do próximo dia 31.”

Em declarações à Voz da Planície, André Linhas Roxas, da CDU de Moura, revelou que “há um comunicado nos Serviços Operacionais a dizer que para participarem das iniciativas” em causa, greve e manifestação, “os trabalhadores deveriam abdicar de um dia de férias e comunicar essa intenção aos serviços de Recursos Humanos da autarquia”. André Linhas Roxas acrescenta que “a prepotência e leviandade com que o executivo do PS enceta estas demandas contra princípios fundamentais do estado democrático começa a já não ser uma surpresa”, que o “PCP estará sempre ao lado dos trabalhadores” e que “não deixará passar em claro mais este abuso”. Termina referindo que “quem não conhece os valores da liberdade não pode, nem merece estar à frente dos destinos do Município de Moura”.

“Os trabalhadores da Câmara Municipal de Moura podem participar na manifestação de dia 31, utilizando um dos direitos conquistados com o 25 de Abril, o direito à greve”, deixa claro, ainda, a nota de imprensa da CDU de Moura.

A Voz da Planície contactou o presidente da Câmara de Moura para o ouvir sobre estas acusações e Álvaro Azedo remeteu para quinta-feira, dia 30, declarações sobre esta matéria.


Comente esta notícia