Isaurindo Oliveira

Isaurindo Oliveira, presidente da Cáritas Diocesana de Beja explica à Voz da Planície que a instituição divulgou, agora, esta nota de imprensa, com o objetivo de demonstrar à comunidade a importância das sinergias criadas com instituições e com a sociedade civil, possibilitando, assim, uma maior ajuda a todos os que precisam, “não deixando ninguém para trás”.

Do conjunto de ações que a Cáritas promoveu, Isaurindo Oliveira destaca o Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas (POAPMC), uma ação levada a cabo desde 2017, pela instituição, que assenta na distribuição de cabazes alimentares e que abrange cerca de 350 pessoas. Um número que aumentou significativamente durante os últimos meses, devido à pandemia.

Isaurindo Oliveira salienta, ainda, a SERHUMANO, uma campanha promovida pela Herdade da Malhadinha Nova, que contou com a participação da Cáritas e do IPBeja. Esta foi uma campanha solidária que pretendeu angariar fundos, posteriormente, canalizados para a compra de EPI’s que foram doados a 20 estabelecimentos residenciais para Pessoas Idosas e com Deficiência do concelho de Beja.

Além destas duas ações, o comunicado realça, ainda, a Campanha Alimentar “Cáritas é Amor, ajude-nos a ajudar”, o Projeto “humanamente@ctivos”, o Serviço de Empregabilidade, o Fundo de Emergência Social e a resposta nacional de emergência social da Cáritas Portuguesa, em que a Cáritas Diocesana de Beja participa. 

O comunicado refere, ainda, que "desde o início da atual crise provocada pela propagação do novo coronavírus, a Cáritas Diocesana de Beja sente um aumento na procura de ajuda em quatro grupos considerados de apoio prioritário: população imigrante, população sénior, desempregados no âmbito da pandemia, pessoas em situação de carência alimentar e o apoio a IPSS do concelho de Beja. 


Comente esta notícia