CM Moura

O Executivo da Câmara de Moura afirma que “nunca por nunca, obstaculizou o direito de qualquer trabalhador a participar na manifestação, ao abrigo do seu Direito à Greve”; que “não coagiu, ameaçou, interferiu ou cometeu qualquer ilegalidade” e que “as acusações, resultam de uma evidente necessidade de diabolizar a ação deste executivo, conduta que revela a mesquinhez e desconforto que caracteriza a ação do PCP/Moura desde que perdeu o poder.”

As autarquias podem, ou não, conceder dispensa de serviço para participações em manifestações/plenários e o que estava em causa seria a dispensa de serviço para este efeito e não a greve, esclarece o vereador da Câmara de Moura José Banha.

A Câmara de Moura a negar as acusações da CDU de “limitar o direito à greve” dos trabalhadores da autarquia. A greve da função pública está marcada para amanhã e inclui, igualmente, a realização de uma manifestação, em Lisboa.


Comente esta notícia