Orçamento Câmara de Beja

A Câmara de Beja explica, entre outros aspetos, que o aumento de 4 milhões de euros deve-se ao “aumento das transferências previstas do Orçamento Geral do Estado (+ 1,1 milhões de euros) e das transferências relativas à aceitação das competências no domínio da educação (+ 3,5 milhões de euros)”. É acrescentado que as despesas correntes em 2021 vão ser “mais baixas do que as de 2020, situando-se nos 63,23%.” As declarações são de Paulo Arsénio, presidente da Câmara Municipal de Beja.

"Para as Grandes Opções do Plano estão reservados cerca de 14 milhões de euros", é revelado também, referindo que as mesmas integram “as prioridades do atual mandato em fase de execução ou com a perspetiva de se iniciariam em 2021”. Neste caso, Paulo Arsénio avançou que contemplam, entre outras obras, o "Mercado Municipal, as Piscinas Descobertas, o lançamento da 2ª fase de construção da zona empresarial Norte da cidade, os Paços do Concelho, o lançamento da empreitada do Fórum Romano, o início do edifício do CEBAL e o apoio às obras do Museu Rainha Dona Leonor".

Foram também aprovadas todas as propostas do Executivo no que respeita aos impostos municipais, “com várias votações cruzadas das diferentes bancadas representadas na Assembleia Municipal de Beja”, é referido. “Assim a taxa de IMI aplicável a prédios urbanos do concelho de Beja em 2021 será de 0,32%, sendo majorados em 30% os prédios devolutos identificados como tais pela Câmara Municipal e havendo uma redução de 20, 40 e 70 euros para agregados com 1, 2 e 3 ou mais filhos até aos 26 anos de idade”, é, igualmente, avançado.


Comente esta notícia