Beja Merece Lisboa

Durante dois dias, e de forma intensa, as 25 pessoas, que constituem a embaixada do Alentejo, que leva até Bruxelas técnicos, empresários, artistas, instituições e gente comum, vão reunir-se com deputados e comissões para se fazerem ouvir e serem ajudadas a perceber o que se passa na região.

Foi Maria da Graça Carvalho, eurodeputada do PSD, que convidou o movimento e o Beja Merece+ vai pedir a intervenção de Bruxelas junto do Governo, porque está na hora do Alentejo se fazer ouvir. As declarações são de Florival Baiôa, do Beja Merece+.

Na embaixada do Alentejo estão representadas várias entidades, entre elas o NERBE e o IPBeja, assim como médicos, psicólogos, enfermeiros. São 25 pessoas e há, também, artistas, como o bejense António Zambujo, que vão demonstrar em Bruxelas a criatividade de um povo, cuja região tem valor e que está esquecido por quem governa. Assegura, igualmente, Florival Baiôa, do Beja Merece+.

Florival Baiôa deixou claro, ainda, que o que vai ser pedido a Bruxelas, dizendo que é exatamente igual ao que foi solicitado ao Governo, que não ouve a região e identificou, exatamente, o que vai ser defendido, nos dias 12 e 13 deste mês, no Parlamento Europeu. Ligação ferroviária Casa Branca/Beja/Funcheira, acessibilidades rodoviárias que permitam a ligação a Sines/Ferreira do Alentejo/Beja/Serpa/Ficalho e melhorias no estado da saúde, assim como a 2ª fase das obras do Hospital da cidade.

O Beja Merece + foi convidado pelo Parlamento Europeu - por iniciativa da eurodeputada Maria da Graça Carvalho - a visitar as instituições europeias e com os seus representantes analisar o estado desta região, que se “encontra no lote das mais deprimidas da Europa.”


Comente esta notícia