Casa da Cultura Beja

“Tal como sucede todos os anos, a Casa da Cultura deverá encerrar às 17.30 horas durante os meses de julho e de agosto, de preferência a partir de 21 de junho”, avança a autarquia no seu esclarecimento, garantindo que este é “um pedido anual” e que o mesmo “mereceu resposta favorável do presidente da Câmara, no passado dia 20 de junho”, à semelhança do que tem acontecido em anos anteriores.

“A Câmara de Beja autorizou que funcionassem, logo a partir de junho se houvesse interessados, os 4 atelieres que administra diretamente (Banda Desenhada, Barro, Ilustração e Madeiras), sujeitando até final de agosto a reavaliação os restantes 12 ateliers que são ministrados por pessoas externas ao Município. Os 4 ateliers autorizados terão de funcionar até final de agosto até às 17.30 horas, como sempre sucedeu no passado e sem que isso tenha nunca tenha motivado qualquer abaixo-assinado”, pode ler-se, igualmente, no esclarecimento.

Nos restantes 12 ateliês, ministrados por pessoas externas à Casa da Cultura, a autarquia assegura que vai averiguar quais são “verdadeiramente ateliers e quais são apenas hobbys, quais são pagos e os gratuitos, apurar se há emissão de recibos e se têm seguro de acidentes pessoais”, assim como “analisar os critérios que determinam que o espaço público seja cedido para efeitos privados a um determinado operador em detrimento de outro(s)”, dizendo ser esta “a verdadeira função da autarquia” e revelando que “nem um único tem um Protocolo de Cedência de espaço público, que fixe horários, direitos e deveres das partes. Nada”.

Em situação de pandemia, a autarquia “pondera reabrir os atelieres, na totalidade ou em parte, a partir de 1 de setembro se a COVID-19 não se agravar substancialmente na área do concelho de Beja e na região, dentro das regras de equidade” e “reequacionar o horário da Casa da Cultura podendo vir a fixar-se nas 22.00 horas, tal como a Biblioteca Municipal”, deixa claro, igualmente, o esclarecimento.


Comente esta notícia