Ruptura Baal17

“Num futuro próximo, ou talvez já no presente, “Ruptura” apresenta-nos um mundo distópico orquestrado ao sabor da hipocrisia, onde as redes sociais são o veículo para o sucesso.

Seguimos os passos de uma rapariga na procura de uma vida de sonho, numa sociedade onde o sorriso e a opinião sobre o outro são a moeda de troca.

“Mais importante que ser é parecer ser” afirmava Maquiavel no século XV. E hoje? Que mundo estamos a construir quando a virtude se resume a um simulacro e a empatia se esgota no sorriso de uma selfie?” pode ler-se na sinopse da peça.


Comente esta notícia