Salas de aula

“Intervalos de cinco minutos, aulas a começar mais cedo e a terminar mais tarde, alunos a ajudar na desinfestação das salas e cantinas com serviço de takeway” são algumas das alterações previstas.

“O ensino presencial, mas com a possibilidade de passar para um modelo de ensino misto ou à distância” são outras opções que estão em cima da mesa. Certo é que “vão estar definidos circuitos de circulação dentro das escolas e que o uso obrigatório de máscaras ou a higienização dos espaços vão ser instituídos para todos”, embora as escolas possam “adotar soluções adaptadas às características de cada estabelecimento”.

“Quanto à recuperação das matérias que ficaram por aprender no passado ano letivo, devido ao modelo de ensino à distância, o plano é igual para todos: no arranque do ano letivo, todas terão de fazer um diagnóstico das aprendizagens adquiridas e as primeiras semanas de aulas serão para recuperar e consolidar matérias.”

Recorde-se que o Ministério da Educação anunciou a “contratação de 2.500 docentes para apoiar na recuperação das matérias, assim como no alargamento do apoio tutorial a mais alunos e a possibilidade de alguns alunos poderem também ajudar outros com as matérias.”

Certo, também, é que o próximo ano letivo vai começar “cheio de incertezas” e espera-se que a “falta crónica” de pessoal auxiliar não venha a afetar o funcionamento que se quer o “mais normal possível” numa altura em que os alunos, principalmente os mais novos, mais precisam de apoio.

A Voz da Planície quis divulgar junto da comunidade como tudo vai decorrer nos dois agrupamentos de escolas da cidade, mas não foi bem-sucedida. Neste momento sabemos que tudo está a ser preparado nas escolas de Beja e que para já é “prematuro” avançar com informações que podem vir a ser alteradas. Mais tarde voltaremos a esta matéria.




Foto: Sons da Baixa Setúbal


Comente esta notícia