Aeroporto Beja

A Comissão Dinamizadora de AMAlentejo apresenta diversos argumentos, que vão estar em discussão no congresso marcado para 30 de Junho e 1 de Julho, em Castelo de Vide, que pretendem demonstrar que a Base Aérea do Montijo não tem as condições para ser um Aeroporto.

José Soeiro, da Comissão dinamizadora do movimento AMAlentejo, afirma que é um crime económico que o País gaste 400 milhões de euros na construção de um novo aeroporto quando existe o aeroporto internacional de Beja que está pronto a funcionar e que deve servir para alavancar sinergias essenciais para o desenvolvimento do Alentejo.

Ainda segundo José Soeiro só uma visão “estreita” e “centralista” é que aponta soluções que não servem ao País, referindo-se ao Montijo. O movimento considera que o aeroporto de Beja é uma alternativa ao Montijo.






Comente esta notícia

Evidentemente!!! Já quando se estudou a hipótese de outros locais para o desígnio "Lisboa + 1", antes do Montijo, o Aeroporto de Beja era, pelas suas caraterísticas únicas (segurança dos aviões e populações, ambiente, proximidade a Lisboa, Faro e Sevilha, entre outros) a única solução de facto viável que existia e existe para o efeito. Deverá tentar compreender-se que interesses estarão por trás da construção de um outro aeroporto num país tão pequeno em termos geográficos como Portugal. Um aeroporto em Beja já existente com ligações rodoviárias e ferroviárias à capital (a implementar) resolve um problema cuja resolução pouco parece interessar aos responsáveis anteriores e em funções.

Fernando Nuno Costa Lobo da Costa Mestre

05/06/2018

Galeria de fotos