Viseiras de rosto

"As máscaras estão a ser costuradas por um grupo de voluntários locais e elementos da Universidade Sénior de Aljustrel (USA). A produção de máscaras faciais centra-se, assim, na criação em TNT (Tecido Não Tecido) e, numa primeira fase, serão utilizados 30 metros deste material, bem como vários metros de elástico, que foram doados à Câmara Municipal de Aljustrel por uma empresa local, a Boutique da Moda.
Relativamente à produção de viseiras, vai enveredar-se agora, nesta nova fase, por uma nova forma de produção, recorrendo-se à máquina de corte laser, por a autarquia dispor de todas as condições no seu Centro d’Artes, e por conseguir, através desta técnica, aumentar em muito a sua produção e, consequentemente, a sua contribuição para a sociedade em que se insere, nomeadamente através da doação que tem estado a efetuar a IPSS, centros de saúde, bombeiros, GNR e entidades públicas e regionais.
O objetivo é alargar a produção própria do Município de Aljustrel e colaborar ainda mais para a produção de equipamento individual de proteção que, neste momento particular, é essencial a diversos profissionais, e em diversos setores, desde hospitais a instituições de solidariedade social.

O design desta nova viseira de rosto foi cedido, gratuitamente, pela empresa aljustrelense Rectângulo Vermelho, que o desenvolveu e que, desde a semana passada, está a produzir este tipo de equipamento de proteção para o mercado nacional e até internacional."


Comente esta notícia