Basílica Real de Castro Verde

Segundo explica António José Brito, presidente da Câmara Municipal de Castro Verde, esta “é uma intervenção muito importante” que vai incidir na requalificação do coro alto e do nártex da Basílica.

A obra que requer “uma grande exigência técnica” e é promovida pela Paróquia de Castro Verde. António José Brito realça “o apoio relevante” dado pela autarquia castrense, que representa “quase metade do investimento”.

Esta é mais uma etapa rumo à conclusão das obras de recuperação daquele que António José Brito diz ser o “mais emblemático e mais importante monumento de Castro Verde”.

Com um investimento que ascende os 446 mil euros, a requalificação deste que é um dos monumentos de referência do património religioso do Baixo Alentejo, define-se em diferentes fases de intervenção que têm decorrido em diferentes momentos.

A 1ª fase integrou a limpeza manual do telhado, o arranjo de portas e janelas e a pintura total do monumento, num investimento superior a 65 mil euros.

Quanto à 2ª fase, que representa um investimento mais expressivo, na ordem dos 380 mil euros (com fundos comunitários já assegurados) prevê uma intervenção de conservação e restauro do teto pintado da Basílica Real. António José Brito esclarece que esta etapa ainda, não começou, frisando estar previsto até meados de setembro o lançamento do concurso.


Comente esta notícia

Galeria de fotos