José António Falcão eleito vice-presidente da Europae Thesauri
José António Falcão eleito vice-presidente da Europae Thesauri

Ana Elias de Freitas - 15/11/2017 - 00:00 - Imprimir


José António Falcão eleito vice-presidente da Europae Thesauri


José António Falcão é o novo vice-presidente da Europae Thesauri, a associação internacional dos museus e tesouros de arte sacra, com sede na Bélgica. A proposta foi feita por Espanha e aprovada por unanimidade, por se considerar José António Falcão “um dos mais destacados especialistas da história da arte religiosa”.

A iniciativa para a eleição do investigador português partiu de Espanha e contou com o apoio da Alemanha, da Bélgica e de França. No comunicado difundido pelo Conselho de Administração de Europae Thesauri, sublinha-se o facto de “aliar à capacidade científica, como um dos mais destacados especialistas da história da arte religiosa, notável experiência enquanto gestor cultural, perito na ligação entre património e desenvolvimento em territórios de baixa densidade.”

José António Falcão assume dentro da organização especiais responsabilidades na dinamização da cooperação internacional e da formação e revelou à Voz da Planície estar satisfeito com este novo desafio, mostrando-se contudo, surpreendido com o facto da proposta do seu nome ter partido de Espanha.

A Europae Thesauri é uma organização independente que mantém relações estreitas com a União Europeia, a UNESCO e outras entidades internacionais. Tem assinalável peso, ao nível global, no património religioso, sobretudo católico e protestante. Ocupa-se igualmente da herança judaica e islâmica. Da sua estrutura fazem parte cinquenta e oito museus e monumentos de referência, como as catedrais de Notre-Dame de Paris e de Santiago de Compostela, os museus de Salzburg ou a Universidade de Oxford.

José António Falcão é conservador de museus e professor universitário, esteve à frente do Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja, que se destacou pelo trabalho de salvaguarda da arte alentejana, incluindo a organização da rede de museus diocesanos e o restauro de mais de uma centena de edifícios.

José António Falcão exerceu também, funções no Museu de Évora e no Museu Calouste Gulbenkian e dirigiu a Casa dos Patudos-Museu de Alpiarça, tendo presidido ao Opart, organismo do Ministério da Cultura que integra o Teatro Nacional de S. Carlos, a Companhia Nacional de Bailado e a Orquestra Sinfónica Portuguesa. Atualmente é assessor no Ministério da Cultura, coordena o Centro UNESCO de Arquitetura e Arte e dirige o Festival Terras sem Sombra.

COMENTE ESTA NOTÍCIA