Rádio Voz da Planície - 14/09/2017 - 00:00 - Imprimir



O Atlas Eleitoral Autárquicas 2017 da Voz da Planície destaca, hoje, o concelho de Odemira.

É o maior concelho de todo o país, caracterizado pela grande variedade paisagística, entre a planície, a serra e o mar, formando uma área de 1720,25 Km2.

Tem uma população residente de 26106 habitantes, distribuídos por 13 freguesias: Relíquias, Sabóia, São Luís, São Martinho das Amoreiras, Vila Nova de Milfontes, Luzianes-Gare, Boavista dos Pinheiros, Longueira/Almograve, Colos, Santa Clara-a-Velha, São Salvador e Santa Maria, São Teotónio e Vale Santiago.

Na actividade económica, de um modo geral, o sector terciário é representado pela maior fatia da população empregada, enquanto os sectores primário e secundário apresentam valores semelhantes entre si. Na verdade, o concelho de Odemira apresenta um três faixas económicas e territoriais distintas:

No litoral é onde se regista, com maior expressão, o turismo do concelho, mais concretamente, nas principais localidades de atração turística (Vila Nova de Milfontes, Almograve e Zambujeira do Mar), que oferecem alojamento, serviços de animação e restauração. Toda a costa do concelho faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

A zona litoral representa, também, grande parte da produção pecuária e é a mais importante zona de produção agrícola, nomeadamente, a horticultura e a floricultura intensiva. Todo este território é contemplado pela infraestrutura de rega do Mira e de um micro clima baseado em geada zero.

É no centro que se encontram os principais aglomerados urbanos do concelho: São Teotónio, Boavista dos Pinheiros, Odemira e São Luís. Aqui destacam-se os serviços públicos, as principais unidades comerciais e os parques de fixação de empresas.

Já a faixa interior do concelho é assinalada por um relevo bastante acidentado, representando uma enorme mancha de floresta autóctone com o sobreiro e a azinheira, e exótica, essencialmente, com o eucalipto. Agregado a essa zona florestal, o sector agrícola e pecuário de sequeiro extensivo marcam, física e economicamente, uma vasta zona do concelho que apresenta a sul a barragem de Santa Clara-a-Velha e a norte a planície alentejana.

A Câmara Municipal de Odemira é liderada por José Alberto Guerreiro, nas eleições autárquicas de 2013, o PS venceu com 6767 votos, mais 2874 do que a CDU.
Nas autárquicas de 2017, apresentam-se a votos, em Odemira, cinco candidaturas, José Alberto Guerreiro é novamente a aposta do PS, Sara Ramos é a cabeça de lista da CDU, Luís Freitas, do PSD, Mariana Freire de Andrade, do CDS-PP e Ana Loureiro, do BE.
Quanto às freguesias do concelho são 13, o PS lidera 8, Colos, São Martinho das Amoreiras, Vila Nova de Milfontes, Longueira/Almograve, Boavista dos Pinheiros, Sabóia, Santa Clara-a-Velha e São Teotónio, a CDU, 5, São Salvador e Santa Maria, Vale de Santiago, Relíquias, São Luís e Luzianes Gare.

José Alberto Guerreiro
, cabeça de lista do PS, afirma que esta candidatura assenta em duas questões fundamentais a “confiança” e a “acção política”.

Sara Ramos
, cabeça de lista da CDU, afirma que faz parte de uma equipa de grande qualidade, motivada e trabalhadora que não se move por interesses próprios e fala da necessidade do concelho ter uma nova visão na gestão municipal que afirme e promova as suas potencialidades.

Luís Freitas
, cabeça de lista do PSD, considera que esta força política merece uma oportunidade para mostrar que pode fazer diferente e garante que tem um projecto moderno e sustentável para o concelho.

Mariana Freire de Andrade
, cabeça de lista do CDS-PP, revela que “Odemira Merece” é o slogan da candidatura e um dos objectivos é dar mais qualidade de vida às pessoas, porque na sua opinião o poder local tem que ser orientado para o bem comum.

Ana Loureiro
, cabeça de lista do BE, garante que conhece bem os problemas do concelhos e revela algumas das apostas da sua candidatura.


COMENTE ESTA NOTÍCIA