“PS/Somos Beja” quer valorizar, recuperar e promover o concelho
“PS/Somos Beja” quer valorizar, recuperar e promover o concelho

Ana Elias de Freitas/Rádio Voz da Planície - 07/09/2017 - 00:00 - Imprimir


“PS/Somos Beja” quer valorizar, recuperar e promover o concelho


A candidatura “PS/Somos Beja” já apresentou o programa eleitoral que propõe à população do concelho para o mandato 2017-2021. O programa, frisou Paulo Arsénio, cabeça de lista à Câmara de Beja, resultou de todos os contributos que foram recolhidos, desde março passado e propõe fazer mais, melhor e diferente, valorizando, recuperando e promovendo o concelho.

Paulo Arsénio começou por dizer que o PS foi a primeira força política a apresentar o candidato à Câmara de Beja, à Assembleia Municipal, os cabeças de lista às freguesias, a lista completa de candidatos, os documentos no Tribunal e o programa, factos, que na sua opinião querem dizer que esta é uma candidatura com vitalidade e credibilidade para ganhar no dia 1 de outubro.

Paulo Arsénio deixou críticas à candidatura em 2013, de João Rocha, dizendo que ao contrário desta, que não apresentou programa há quatro anos, que a sua o faz e com propostas flexíveis que podem ser adaptadas durante o mandato.

O programa do “PS/Somos Beja” assenta em 70 medidas divididas por sete eixos: Beja/Educa; Beja/Empreende; Beja/Cuida; Beja/Habita; Beja/Descentraliza e Beja/Participa, que foram identificados e explicados, igualmente, por Paulo Arsénio.

Nesta sessão de apresentação do programa foram destacados, de forma pormenorizada os sete eixos e identificados os dois que são prioritários, nomeadamente a Educação e o Empreende – Empreendedorismo, Desenvolvimento e Turismo. Neste caso, foi Luís Miranda, o número dois da lista a fazer a apresentação e a revelar que se pretende criar um Fundo Municipal de Apoio ao Investimento, de 1 milhão de euros, captar investimento com criação de postos de trabalho e fazer uma aposta forte no turismo. Foi ainda, Luís Miranda que falou sobre o Beja/Habita, deixando a promessa de que se quer concluir a circular externa da cidade, cumprir a “velha aspiração” de fazer a ligação da rotunda do cemitério ao Bairro dos Moinhos, assim como requalificar o Jardim Público, o Parque da cidade e o Mercado Municipal, “com a atenção que merecem”, frisou. No contexto deste eixo referiu ainda, que se pretende fazer um debate público sobre o Flávio dos Santos e reduzir o IMI no concelho.

No eixo cultura, Dinis Cortes falou em nove pontos, dos quais destacamos a recuperação da Festa do Livro e do concurso Galeria Aberta, uma iniciativa de comemoração do fado e do cante e a realização de uma feira: Patrimónios do Sul.

Sobre o Beja/Descentraliza falou Arlindo Morais, destacando a necessidade de aproximar a Câmara das freguesias rurais, de aumentar a transferência de verbas para as mesmas, de criar um evento na cidade em que as mesmas se promovem e, entre outras medidas, a criação de um balcão itinerante.

Foi Marisa Saturnino quem explicou o Beja/Cuida e neste eixo afirmou que a candidatura pretende criar uma Comissão de Proteção de Idosos em Risco, uma Unidade Móvel de Pequenas Reparações e promover Arrendamento Jovem para o Centro Histórico e Freguesias Rurais.

Paulo Arsénio fez a apresentação do último eixo, o Beja/Participa, revelando que se pretende introduzir o orçamento participativo, as discussões públicas sobre questões estruturais do concelho, criar a figura do Provedor do Município, promover sessões do ouvir Beja e revitalizar os conselhos municipais e consultivos.

COMENTE ESTA NOTÍCIA