ARQUIVO


As mais-valias do sector do porco alentejano...


Vender, divulgar e envolver os agentes da região de modo a que todos possam beneficiar das mais-valias geradas pelo sector do porco alentejano são as expectativas do presidente da Associação de Criadores de Porco Alentejano para a Feira a realizar este fim-de-semana, em Ourique.

A carne de porco de raça alentejana, considerada única no mundo, possui uma gordura pouco saturada e é rica em ácido oleico, sendo mais saudável do que as carnes de outros animais. Estas são apenas algumas características da carne de porco alentejano criado em extensivo e com uma alimentação à base de bolota.

Só para termos uma ideia da distância a que este porco está do porco comum vendido no supermercado, salientamos que o abate de um porco normal para comercialização é feito aos cinco ou seis meses e o de um porco alentejano é por volta dos 18 meses, ou seja, três vezes mais tempo.

Para promover e organizar a actividade suinícola extensiva da Raça Alentejana foi criada, em 1990, a Associação de Criadores de Porco Alentejano. Com sede em Ourique, esta é a primeira Associação fundada em Portugal por um grupo de suinicultores que se agrupa com o objectivo de defender os seus interesses colectivos e recuperar a raça.

Para conhecermos o papel da Associação junto dos criadores do porco de raça alentejana falámos com o presidente, Nuno Faustino. Com cerca de 120 produtores associados que comercializam cerca de nove mil porcos engordados a bolota, a Associação de Criadores do Porco Alentejano realça a importância da Feira a realizar este fim-de-semana em Ourique para vender, divulgar e envolver os agentes da região de modo a que todos possam beneficiar das mais-valias geradas pelo sector do porco alentejano.

Promover e divulgar as potencialidades de um produto diferenciado são os objectivos da Feira do Porco, em Ourique, organizada pela Câmara Municipal e pela Associação de Criadores de Porco Alentejano.


19/03/2013 - 00:00