ARQUIVO


Desemprego: “16,3 por cento é um valor que exige a saída deste Governo”.


O Gabinete de Estatísticas da União Europeia, o Eurostat, anunciou que a taxa de desemprego em Portugal, em Novembro de 2012, manteve-se nos 16,3 por cento. Para Casimiro Santos, coordenador da União de Sindicatos do Distrito de Beja (USDB) este “é um valor que exige a saída do Governo”.

De acordo, igualmente, com o Eurostat, o nosso País continua a ter a terceira taxa mais elevada de desemprego da Europa e a registar a quarta maior subida entre os Estados-membros. No que se refere à taxa de desemprego jovem, Portugal atingiu os 38,7 por cento, em Novembro do ano transacto.

Mesmo assim, o Governo diz que a taxa registada está dentro das suas previsões e Casimiro Santos, o coordenador da USDB, afirma que se estas são as perspectivas destes governantes para o País, que o melhor é saírem.

O sindicalista prosseguiu frisando que os resultados das políticas desenvolvidas por este Governo são mais desemprego e falta de saídas para um País que não aguenta mais austeridade.

Para Casimiro Santos é preciso valorizar o trabalho, porque só assim se consegue evitar a saída dos jovens do País, assim como criar uma política para a juventude. O coordenador da USDB disse ainda, que num País onde a taxa de desemprego jovem ronda os 40 por cento, o Governo só tem que se demitir, porque esta percentagem significa que tem feito um mau trabalho.

Casimiro Santos considera, igualmente, que a aposta séria no desenvolvimento do sector produtivo é a saída para a crise que Portugal está a atravessar. Acrescentou que só o investimento neste sector pode gerar a confiança necessária para se dar volta a esta situação.

Ana Elias de Freitas

09/01/2013 - 07:00