ARQUIVO


Aeroporto de Beja: Carreira Marques recorda como tudo começou, há 24 anos...


A ideia do aproveitamento civil da Base Aérea 11, como estratégia de desenvolvimento para a região, reporta a 1987. Carreira Marques, presidente da autarquia bejense na altura, recorda hoje, na Voz da Planície, como se encarava aquela perspectiva, há 24 anos. Fala também sobre os desenvolvimentos que a mesma tem conhecido, ao longo de todo este tempo, e as perspectivas que tem para o aeroporto de Beja.

A ideia do aproveitamento civil da Base Aérea (BA) Nº11, como estratégia de desenvolvimento para a região, reporta-se a 1987. Aquela perspectiva foi mencionada nos estudos económicos e sociais que serviram de fundamento às opções de ordenamento, inscritas no Plano Director Municipal (PDM) de Beja. Mais tarde, em 1995, a autarquia bejense encomenda o Plano Estratégico para o concelho, documento que voltava a revalidar o aproveitamento civil da BA 11.

Carreira Marques, presidente da Câmara Municipal de Beja na altura, recorda hoje, na Voz da Planície, como se encarava aquela perspectiva, há 24 anos, chamando a atenção para o facto da mesma ter surgido como “uma forte esperança, alicerçada nos estudos que se foram fazendo”. Prosseguiu lembrando que “apareceram entidades e empresas que fizeram perguntas e que se manifestaram interessadas, mas já naquela altura, a autarquia deparou-se com a situação de haver muita gente com boas propostas e do Município não ter tido capacidade de resposta, porque o Estado não correspondeu”. Frisou ainda, que “esse facto levou ao afastamento dos interessados”.

No que se refere aos desenvolvimentos que o aproveitamento civil da Base Aérea (BA) Nº11 tem conhecido ao longo de todos estes anos, Carreira Marques fez questão de dizer que “se tem andado a brincar” com aquela questão, na medida em que tem sido “um processo lento, que se transformou a dada altura numa disputa partidária”, referindo-se à criação da Empresa de Desenvolvimento do Aeroporto de Beja (EDAB) e às várias formações que o seu Conselho de Administração conheceu. Neste caso realçou que “os avanços e recuos do processo levaram, uma vez mais, ao afastamento de muitas empresas interessadas em investir na região”.

Carreira Marques considera, igualmente, que, “com o aeroporto de Beja pronto, se devem procurar saídas para o mesmo, no sentido de contrariar as perspectivas negativas que alguns «velhos do Restelo» fizeram para aquela infraestrutura aeroportuária da região”.

Terminou frisando que “apesar de tudo”, espera que “agora seja tempo das coisas andarem para a frente”, que acredita “nas potencialidades do aeroporto de Beja”, assim como, nas “mais valias” que o mesmo possa “trazer para a região, assim exista vontade política e de todos para o efeito”.

Ana Elias de Freitas   
 
 
Datas marcantes no Aeroporto de Beja

 

Em 1987 os Estudos Económicos e Sociais encomendados pela câmara Municipal de Beja para fundamentar as opções de ordenamento no PDM, apontam o aproveitamento para fins civis da Base Aérea 11, como uma forte possibilidade de desenvolvimento para a região.

Em 1995 o Município encomenda o Plano Estratégico de Beja que viria revalidar a proposta de aproveitamento para fins civis da BA11.

A 22 de Julho de 2000 é criada a EDAB – Empresa de Desenvolvimento do aeroporto de Beja com o capital social de 500 mil euros subscrito pelo Estado - Nerbe e Associação de Municípios do Distrito de Beja.

A 13 de Junho de 2002 Durão Barroso, então primeiro-ministro, aproveita a reunião semanal com o então Presidente da Republica Jorge Sampaio, realizada em Beja, onde decorria uma Presidência aberta para surpreendentemente anunciar que Beja “iria ter já em 2003 um Aeroporto Internacional.

A 27 de Janeiro de 2007 o primeiro-ministro José Sócrates, o ministro das obras públicas Mário Lino e Francisco Santos, presidente da Câmara Municipal de Beja, e José Ernesto Queiroz, presidente da EDAB, participam na cerimónia de lançamento da primeira pedra das obras do aeroporto, apontando o final de 2008 para a conclusão das mesmas.

Em 16 de Abril de 2007 arrancam as obras de terraplanagem.

A 5 de Setembro de 2008 é assinado o contrato para a construção dos edifícios.

A 15 de Outubro de 2008, José Soeiro, então deputado do PCP na Assembleia da republica, questiona o governo pelos sucessivos atrasos na conclusão do projecto.

Em 2 de Fevereiro de 2009, Mário Lino anuncia que o aeroporto de Beja iria ser gerido pela Ana – Aeroportos de Portugal.

A 15 de Dezembro desse mesmo ano, o PS realiza em Beja as suas jornadas parlamentares e a deputada Ana Paula Vitorino, diz que o Aeroporto ficará pronto a funcionar em Setembro de 2010 e Guilhermino Rodrigues, presidente da ANA- Aeroportos de Portugal, assegura que estão a ser efectuadas negociações com o INAC- Instituto Nacional de Aviação Civil com vista a certificação das infra-estruturas aeroportuárias, incluindo as pistas.

A 11 de Março 2010 o PSD pela voz de Paulo Rangel, questionava o governo socialista sobre o porque de não rentabilizar o aeroporto de Beja.

12 de Novembro de 2010 o semanário Sol publica excertos de um relatório do Tribunal de Contas que arrasa do ponto de vista financeiro o projecto e incendeia a discussão em torno do mesmo.

A 18 de Dezembro de 2010 a ANA apresenta em Beja o Plano de Marketing do Aeroporto do Alentejo.

31 de Janeiro de 2011 a Voz da Planície revela em primeira mão que já estão a ser comercializados no Reino Unido, pelo operador turístico Sunvil, os primeiros voos charters a partir do aeroporto londrino de Heathrow com destino ao aeroporto de Beja.

Em Fevereiro deste ano a Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo surpreende com o anúncio que já tem programado o primeiro voo civil/comercial que inaugurará o aeroporto de Beja.

No passado dia 8 a ANA e a Força Aérea testam em exercício conjunto a operacionalidade dos meios de socorro em caso de acidente.

Hoje às 18:20 parte com destino a Cabo Verde o primeiro voo comercial civil, embora ainda com autorização provisória especial do INAC para a utilização da infra-estrutura, já que a certificação definitiva só deverá ficar pronta no segundo semestre deste ano.

 

 

13/04/2011 - 07:00